Warning: include(includes/creativeimageslider_widget.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in /home/lambz/public_html/macasdeouro.com/wp-content/plugins/creative-image-slider/creativeimageslider.php on line 45

Warning: include(includes/creativeimageslider_widget.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in /home/lambz/public_html/macasdeouro.com/wp-content/plugins/creative-image-slider/creativeimageslider.php on line 45

Warning: include() [function.include]: Failed opening 'includes/creativeimageslider_widget.php' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/lambz/public_html/macasdeouro.com/wp-content/plugins/creative-image-slider/creativeimageslider.php on line 45
: | Maçãs de Ouro

:

Postado por em 5 nov, 2013 em Chamada, Mensagens, Mensagens, Sem categoria | Comentários desativados

:

As Parábolas de Jesus são narrativas breves, dotadas de um conteúdo alegórico, utilizadas nas pregações e sermões de Jesus com a finalidade de transmitirem ensinamento.

Quanto à sua definição exata, a parábola pode ser:

Narração alegórica na qual o conjunto de elementos evoca outra realidade de ordem superior 1

Uma espécie de alegoria apresentada sob forma de uma narração, relatando fatos naturais ou acontecimentos possíveis, sempre com o objetivo de declarar ou ilustrar uma ou várias verdades.2

As parábolas são apresentadas no Antigo Testamento da Bíblia II Samuel 12: e Isaías 5:1-7 , nas literaturas rabínicas e no Novo Testamento.3 4

Nos Evangelhos sinópticos, as parábolas e ditos parabólicos proferidos por Jesus somam em torno de 60, ou seja, representam a terça parte de todas as palavras dele que foram registradas nas quatro biografias, de acordo com alguns estudiosos, tornando as parábolas uma importante característica do discurso de Jesus.

Jesus utiliza-se das parábolas para transmitir ensinamentos profundos. A despeito disso, a maioria delas sempre é marcada pela simplicidade e brevidade. Poucas delas são longas, como acontece com a Parábola dos Talentos (Mateus 25:14-30) ou a Parábola do Filho Pródigo (Lucas 11:32).

Embora, em alguns casos, Jesus inclua exageros — a parábola dos dez mil talentos, uma soma astronômica de dinheiro (Mateus 18:24) —, ou implicações alegóricas – maus vinicultores, (Mateus 21:3-44; Mateus 12:12; Lucas 20:9-19), que necessitam de interpretação — ou ainda símiles e metáforas. As parábolas de Jesus são sempre tiradas da realidade do mundo cultural e social em que ele vivia, contadas com o propósito de transmitir verdades espirituais.

Jesus ministrava sua mensagens com facilidade em todos os níveis sociais. Ele tinha conhecimento das mais diversas áreas da sociedade e sabia quais eram as suas necessidades. Conhecia os fariseus e os peritos na lei. Por meio de suas parábolas Jesus levou aos seus ouvintes a mensagem de salvação, conclamava a se arrependerem e a crerem. Aos crentes, desafiava-os a porem a fé em prática, exortando seus seguidores à vigilância. Quando seus discípulos tinham dificuldade para entender as parábolas, Jesus interpretava.5
Classificação das parábolas

As Parábolas são divididas em 3 classes:6

Parábolas verídicas – a ilustração é tirada da vida diária, portanto seu ensino pode ser reconhecido de forma universal. Ex.: os meninos que brincam na praça (Mateus 11:16-19; Lucas 7:31-32); a ovelha separada do rebanho (Mateus 18:12-14; Lucas 15:4-7); uma moeda perdida numa casa (Lucas 15:8-10).
Parábolas em forma de histórias – refere-se a acontecimentos passados que são centralizados diretamente em uma pessoa. Ex.: o mordomo sagaz que endireitou a sua situação depois de ter esbanjado o patrimônio do seu senhor (Lucas 16:1-9); o juiz que acabou finalmente administrando justiça como respostas às repetidas súplicas de uma viúva (Lucas 18:2-8).
Ilustrações – são histórias que focalizam exemplos a serem imitados. Ex.: a Parábola do Bom Samaritano (Lucas 10:30-37).

As parábolas do Reino

O Reino de Deus é um tema recorrente nas parábolas de Jesus. Ele estava implantando um novo Reino espiritual e todo seu enfoque estava na manifestação desse Reino, por isso muitos não o compreendiam (Mateus 13:13) por estarem com seus corações endurecidos, cheios de incredulidade.

Jesus proferiu várias parábolas referindo-se diretamente ao Reino de Deus e que, freqüentemente, revelam uma perspectiva escatológica: o Trigo e o Joio (Mateus 13:24-30); A Rede (Mateus 13:47-50); das Bodas (Mateus 22:1-14); das Dez Virgens (Mateus 25:1-13); dos Talentos (Mateus 25:14-30); etc.

É importante observar que as parábolas de Jesus são compreendidas a partir do momento que existe disposição interior para compreender o próprio Mestre.7
Ditos parabólicos

Há também vários ditos parabólicos breves e sábios que pode ter sido circulado como provérbios nos dias de Jesus: “Médico, cura-te a ti mesmo” (Lucas 4:23); “Pode porventura um cego guiar a outro cego? Não cairão ambos no barranco?” (Lucas 6:39).

Parábolas e ditos parabólicos, disposta em conformidade com o contexto geral dado nos Evangelhos:
O Sermão da Montanha
Ver artigo principal: Sermão da Montanha

O Sal da terra (Mateus 5:13; Marcos 9:49-50; Lucas 14:34-35)
A Luz do mundo (Mateus 5:14; Marcos 4:21; Lucas 8:16)
Dos Tesouros (Mateus 6:19; Lucas 12:33-34)
O Olho São (Mateus 6:22-23; Lucas 11:34)
As Aves do Céu e os Lírios do Campo ( Mateus 6:26; Lucas 12:24-48)
Não podes servir a dois senhores ( Mateus 6:24; Lucas 16:13)
O Argueiro no olho ( Mateus 7:3-5; Lucas 6:41-42)
Da Profanação daquilo que é santo (Mateus 7:6)
As Duas Estradas (Mateus 7:13-14; Lucas 13:23-24)
Os Lobos disfarçados em ovelhas e “Pelos seus frutos…” (Mateus 7:15-20)
A Casa edificada na rocha (Mateus 7:24-27; Lucas 6:47)

O Ministério na Galiléia
Ver artigo principal: Ministério de Jesus

Vinho Novo em Odres Velhos (Mateus 9:14-17; Marcos 2:18-22; Lucas 5:33-39Lc 5:33-39)
A Seara é grande (Mateus 9:35-38; Marcos 6:6-34; Lucas 8:1; João 4:35)
Dois devedores (Lucas 7:36-50)
O Sinal de Jonas (Mateus 12:38-42; Mateus 16:1-4; Marcos 8:11-12; Lucas 11:16; João 6:40)
A Parábola do Semeador (Mateus 13:1-9; Marcos 4:1-9; Lucas 8:4-8)
A Razão do falar em parábolas (Mateus 13:10-17; Marcos 4:10; Lucas 8:9-10; João 9:39)
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça (Mateus 11:15; Marcos 4:8-23;Lucas 8:8; Mateus 14:35)
A semente (Marcos 4:26-29)
O Trigo e o joio (Mateus 13:24-30)
Parábola do grão de mostarda (Mateus 13:31-32; Marcos 4:30; Lucas 13:18-19)
Parábola O Fermento (Mateus 13:33; Lucas 13:20-21)
Por que Jesus falou por parábolas (Mateus 13:34; Marcos 4:33-34)
Parábola da Pérola (Mateus 13:45-46)
O tesouro Escondido (Mateus 13:44)
A Parábola da Rede (Mateus 13:47-50)
Tesouros velhos e novos (Mateus 13:51-52)
Os verdadeiros parentes de Jesus (Mateus 12:46-50; Marcos 3:20-21; Lucas 8:19; João 15:14)
O Credor Incompassivo (Mateus 18:23-35)

No Caminho de Jerusalém
Ver artigo principal: Ministério de Jesus

O Bom Samaritano (Lucas 10:29-37)
Amigo Importuno (Lucas 11:5-8)
A Luz (Lucas 11:33; Mateus 5:15; Mateus 4:21)
O Olho bom (Lucas 11:34; Mateus 6:22-23)
Do Rico Insensato (Lucas 12:13-21)
A Parábola da Figueira Estéril (Lucas 13:1-9; Mateus 21:18-19; Mateus 11:12)
Contando o Custo (Lucas 14:28-33)
A Ovelha perdida (Mateus 18:10-14; Lucas 15:1-7)
A Dracma perdida (Lucas 15:8)
O Filho Pródigo (Lucas 15:11-32)
O Mordomo Infiel (Lucas 16:1-13)
O Parábola do Rico e Lázaro (Lucas 16:19-31)
Servo Inútil (Lucas 17:7-10)
O Juiz iníquo (Lucas 18:1-8)
O Fariseu e o publicano (Lucas 18:9-14)

O Ministério na Judéia

Das Riquezas (Mateus 19:23-30; Marcos 10:23-31; Lucas 18:24-30)
Os Trabalhadores da vinha (Mateus 20:1-16)
Os Talentos (Mateus 25:14-30; Lucas 19:11-27)

O Ministério Final em Jerusalém

Os Dois filhos (Mateus 21:28-32)
Os Lavradores maus (Mateus 21:33-46; Marcos 12:1-12; Lucas 20:9-19)
As Bodas (Mateus 22:1-14)
Parábola da viúva pobre (Mateus 12:41-44; Lucas 21:1-4)
A Figueira (Mateus 24:32-36; Marcos 13:28-32; Lucas 21:29-33)
A Exortação à vigilância (Mateus 25:13; Marcos 13:33-37; Lucas 19:19-20)
O Dilúvio, a vigilância e o ladrão de noite (Mateus 24:37-44; Lucas 17:26-36; Lucas 12:39-40)
O Bom servo e o mau servo (Mateus 24:45-51; Lucas 12:41-46)
As Dez virgens (Mateus 25:1-13)
As Ovelhas e Bodes (Mateus 25:31-46)

Os discursos no Evangelho de João

O ensino de Jesus no quarto Evangelho apresenta-se em discursos e diálogos que, mesmo assim, empregam a linguagem figurada parabólica.

O Novo nascimento (João 3:1-36)
A Água da Vida (João 4:1-42)
O Filho (João 5:19-47)
O Pão da Vida (João 6:22-66)
O Espírito vivificante (João 7:1-52)
A Luz do Mundo (João 8:12-59)
O Bom Pastor (João 10:1-42)
O Discurso de despedida (João 13:1-26), que inclui os ditos acerca da casa do Pai (João 14:2), do caminho (João 14:6), da videira (João 15:1-16), e das dores de parto (João 16:2).

Referências

(Dicionário Aurélio – pág. 513)
(LUND/P, E.; NELSON, C. – Hermenêutica – Ed. Vida – pág. 81)
Barbara Reid, 2001 Parables for Preachers ISBN 0814625509 page 3
Arland J. Hultgren, 2002 The Parables of Jesus ISBN 080286077X page 2
Donald L. Griggs, 2003 The Bible from scratch ISBN 0664225772 page 52
According to the Catholic Encyclopedia article on Parables: “There are no parables in St. John’s Gospel” and the Encyclopædia Britannica article on Gospel of St. John: “Here Jesus’ teaching contains no parables and but three allegories, the Synoptists present it as parabolic through and through.”
William Barclay, 1999 The Parables of Jesus ISBN 066425828X pages 12.

FONTE: PARÁBOLAS DE JESUS – Wikipédia, a enciclopédia livre.